segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Persistência da Memória - Dali

Re - evolução

Idéias absurdas de paz
Infestam a minha descrença no amor
Um pássaro delicado bica com força o poema
Rasga o dilema
E provoca a dor!


Sementes plantadas nos jardins das flores do mal
Irradiam um doce bolo feito todo de sal
Do deserto mais expansivo
Tiram-se os cactos mais saborosos


Existe uma lógica perversa nas relações
Equação sem um resultado positivo
E o que sobra
É uma busca desenfreada por algum abrigo
E tudo sempre se repete
Beijos molhados no futuro inimigo!!





Nenhum comentário:

Postar um comentário